Dia 21 – QUINTA-FEIRA

SANTA INÊS

VIRGEM E MÁRTIR

(vermelho, pref. comum, ou dos santos, – ofício da memória)

Esta é uma virgem sábia, do número das prudentes, que foi ao encontro de Cristo com sua lâmpada acesa.

Inês nasceu na Itália, no final do 3º século, e, com apenas 12 anos de idade, foi martirizada em defesa da fé e da sua virgindade. Seu nome está incluído na primeira Oração Eucarística, conhecida como Cânon Romano. Em comunhão com essa jovem mártir, peçamos ao Senhor a pureza de coração.

 

Primeira Leitura: Hebreus 7,25-8,6

Leitura da carta aos Hebreus – Irmãos, 25Jesus é capaz de salvar para sempre aqueles que, por seu intermédio, se aproximam de Deus. Ele está sempre vivo para interceder por eles. 26Tal é precisamente o sumo sacerdote que nos convinha: santo, inocente, sem mancha, separado dos pecadores e elevado acima dos céus. 27Ele não precisa, como os sumos sacerdotes, oferecer sacrifícios em cada dia, primeiro por seus próprios pecados e depois pelos do povo. Ele já o fez uma vez por todas, oferecendo-se a si mesmo. 28A Lei, com efeito, constituiu sumos sacerdotes sujeitos à fraqueza, enquanto a palavra do juramento, que veio depois da Lei, constituiu alguém que é Filho, perfeito para sempre. 8,1O tema mais importante da nossa exposição é este: temos um sumo sacerdote tão grande, que se assentou à direita do trono da majestade, nos céus. 2Ele é ministro do santuário e da tenda verdadeira, armada pelo Senhor, e não por mão humana. 3Todo sumo sacerdote, com efeito, é constituído para oferecer dádivas e sacrifícios; portanto, é necessário que tenha algo a oferecer. 4Na verdade, se Cristo estivesse na terra, não seria nem mesmo sacerdote, pois já existem os que oferecem dádivas de acordo com a Lei. 5Estes celebram um culto que é cópia e sombra das realidades celestes, como foi dito a Moisés, quando estava para executar a construção da tenda: “Vê, faze tudo segundo o modelo que te foi mostrado sobre a montanha”. 6Agora, porém, Cristo possui um ministério superior. Pois ele é o mediador de uma aliança bem melhor, baseada em promessas melhores. – Palavra do Senhor.

 

Salmo Responsorial: 39(40)

Eis que venho fazer, com prazer, / a vossa vontade, Senhor!

1. Sacrifício e oblação não quisestes, / mas abristes, Senhor, meus ouvidos; / não pedistes ofertas nem vítimas,  holocaustos por nossos pecados, / e então eu vos disse: “Eis que venho!” – R.

2. Sobre mim está escrito no livro:  “Com prazer faço a vossa vontade, / guardo em meu coração vossa lei!” – R.

3. Boas-novas de vossa justiça  anunciei numa grande assembleia; / vós sabeis: não fechei os meus lábios! – R.

4. Mas se alegre e em vós rejubile / todo ser que vos busca, Senhor! / Digam sempre: “É grande o Senhor!” / os que buscam em vós seu auxílio. – R.

 

Evangelho: Marcos 3,7-12

Aleluia, aleluia, aleluia.

Jesus Cristo salvador destruiu o mal e a morte; / fez brilhar pelo Evangelho a luz e a vida imperecíveis (2Tm 1,10). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 7Jesus se retirou para a beira do mar junto com seus discípulos. Muita gente da Galileia o seguia. 8E também muita gente da Judeia, de Jerusalém, da Idumeia, do outro lado do Jordão, dos territórios de Tiro e Sidônia foi até Jesus, porque tinham ouvido falar de tudo o que ele fazia. 9Então Jesus pediu aos discípulos que lhe providenciassem uma barca, por causa da multidão, para que não o comprimisse. 10Com efeito, Jesus tinha curado muitas pessoas, e todos os que sofriam de algum mal jogavam-se sobre ele para tocá-lo. 11Vendo Jesus, os espíritos maus caíam a seus pés, gritando: “Tu és o Filho de Deus!” 12Mas Jesus ordenava severamente para não dizerem quem ele era. – Palavra da salvação.

 

Reflexão

Em Jesus, a misericórdia divina era oferecida a todos. Jesus não perde a ocasião de acudir os que dele se aproximam. Acolhe-os na sinagoga, nas casas e à beira do lago. O breve texto cita várias regiões de onde partiam multidões que iam à procura de Jesus. Ninguém fica excluído; também as cidades habitadas por não judeus recebem de Jesus a mesma benevolência. Vêm desejosos de tocar em Jesus, sobretudo os doentes, por constatarem que ele tinha curado muita gente. Os próprios adversários do Reino (espíritos impuros) rendem-se à evidência e proclamam: “Tu és o filho de Deus!”. Admirável é a resistência física de Jesus, porém ainda mais admirável é seu zelo pastoral e sua entrega total ao serviço dos necessitados. Sem sombras de egoísmo.

 

ORAÇÃO


Jesus, Filho de Deus, provocas extraordinária movimentação ao teu redor. É que, de todas as partes, ao saber de todas as coisas que fazes, multidões vêm ao teu encontro. Só benefício oferecido ao povo sedento de tua palavra e de tuas curas! A todos atendes com total dedicação. Amém.

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp