Dia 28 – TERÇA-FEIRA
SANTO IRINEU

BISPO E MÁRTIR

(vermelho, pref. comum, dos mártires ou dos pastores, – ofício da memória)

Farei surgir um sacerdote fiel, que agirá segundo o meu coração e a minha vontade, diz o Senhor (1Sm 2,35).

Irineu nasceu em Esmirna, na atual Turquia, no 2º século. Foi discípulo do grande bispo São Policarpo, de quem recebeu a tradição mais imediata do apóstolo João, e tornou-se bispo de Lião, na atual França. Na qualidade de pastor e apaixonado teólogo de Cristo e da Igreja, combateu as heresias com singular determinação. Morreu mártir por volta do ano 200. Fez jus a seu nome, que significa “pacífico”, exercendo importante mediação entre o Oriente e Roma. A seu exemplo, sejamos construtores de união e de paz.

 

Primeira Leitura: Amós 3,1-8; 4,11-12

Leitura da profecia de Amós – 1Ouvi, filhos de Israel, a palavra que disse o Senhor para vós e para todas as tribos que eu retirei do Egito: 2“Dentre todas as nações da terra, somente a vós reconheci; por isso usarei o castigo por todas as vossas iniquidades. 3Se duas pessoas caminham juntas, não é porque estão de acordo? 4Se o leão ruge na selva, não é porque encontrou a presa? Se no covil rosna o filhote do leão, não é porque agarrou sua parte? 5Acaso, sem armadilha, se prende uma ave no chão? Acaso dispara a armadilha antes de capturar a presa? 6Se ressoa na cidade o toque da trombeta, não fica a população apavorada? Se acontece uma desgraça na cidade, não foi o Senhor que fez? 7Pois nada fará o Senhor Deus que não revele o plano a seus servos, os profetas. 8Ruge o leão, quem não terá medo? Falou o Senhor Deus, quem não será seu profeta? 4,11Eu arrasei-vos, como arrasei Sodoma e Gomorra, e ficastes como um tição, retirado da fogueira; e, contudo, não voltastes para mim”, diz o Senhor. 12“Por isso, assim te tratarei, Israel; e, porque sabes como te vou tratar, prepara-te, Israel, para ajustar contas com o teu Deus”. – Palavra do Senhor.

 

Salmo Responsorial: 5

Na vossa justiça guiai-me, Senhor!

1. Não sois um Deus a quem agrade a iniquidade, / não pode o mau morar convosco; / nem os ímpios poderão permanecer / perante os vossos olhos. – R.

2. Detestais o que pratica a iniquidade / e destruís o mentiroso. / Ó Senhor, abominais o sanguinário, / o perverso e enganador. – R.

3. Eu, porém, por vossa graça generosa, / posso entrar em vossa casa. / E, voltado reverente ao vosso templo, / com respeito vos adoro. – R.

 

Evangelho: Mateus 8,23-27

Aleluia, aleluia, aleluia.

No Senhor ponho a minha esperança, / espero em sua palavra (Sl 129,5). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 23Jesus entrou na barca e seus discípulos o acompanharam. 24E eis que houve uma grande tempestade no mar, de modo que a barca estava sendo coberta pelas ondas. Jesus, porém, dormia. 25Os discípulos aproximaram-se e o acordaram, dizendo: “Senhor, salva-nos, pois estamos perecendo!” 26Jesus respondeu: “Por que tendes tanto medo, homens fracos na fé?” Então, levantando-se, ameaçou os ventos e o mar, e fez-se uma grande calmaria. 27Os homens ficaram admirados e diziam: “Quem é este homem, que até os ventos e o mar lhe obedecem?” – Palavra da salvação.

 

Meditações

O Evangelho de ontem termina com Jesus convidando seus discípulos a segui-lo. Entram no barco. De repente uma tempestade violenta ameaça o barco e os tripulantes. Há grande contraste entre a tranquilidade de Jesus dormindo e o desespero dos discípulos, prestes a ser tragados pelas ondas. Os discípulos invocam o Mestre para que intervenha. A barca é símbolo da comunidade que se apavora diante das dificuldades, incompreensões e perseguições, simbolizadas pelo mar. Jesus é apresentado como aquele que enfrenta as dificuldades do povo. As tempestades fazem parte da vida das comunidades e das famílias, colocando em dúvida a presença do Ressuscitado. A fé na presença dele nos encoraja a enfrentar os desafios que surgem na vida. Ainda hoje, muitas vezes, nos perguntamos por que Deus permite tanto sofrimento e por que ele não intervém.

(Dia a dia com o Evangelho 2022)